755 tim

 

 

Mar sonoro, mar sem fundo, mar sem fim.
A tua beleza aumenta quando estamos sós...

Sophia de Mello Breyner

 

 

Do vento ao fundo do mar

 

Há um encontro de diferentes manifestações artísticas que dá corpo a esta exposição sobre o mar e que estão presentes nos trabalhos de Tim Madeira e António Alves da Costa.

Nesta exposição podemos ver, ouvir e sentir pinturas, fotografias, intervenções site-specific, vídeo e instalação pública de obras que se engolfam, como corpos nas ondas do mar.

Os percursos de Tim e António já se cruzaram uma série de vezes, há sensivelmente uma década, ora em exposições, ora em intervenções teatrais, ou em projetos digitais passados, sempre revelando uma sincronia plástica e ensaiando novas descobertas estéticas.

A maioria das obras é feita sobre velas antigas de barcos, com formas invulgares, algumas delas retalhadas e manchadas pelo tempo.

Encontramos fotografias impressas em tela que depois foram aplicadas nas velas e intervencionadas com pinturas, manchas de cor e palavras. Da dança do vento ao silêncio do fundo do mar, estas resultam de uma tentativa de dar expressão à matéria que nos permite viajar em vasto oceano.

Neste conjunto de obras sentimos o impulso do chamamento da viagem; há em todos nós portugueses essa travessia marítima que perdura há seculos na nossa história. Por isso, a exposição inclui a leitura de diversos poemas que nos transportam para a nossa relação especial com o mar: poemas de Sophia de Mello Breyner, David Morão Ferreira ou Eugénio de Andrade.

Esta exposição Do Vento ao fundo do Mar apresenta peças produzidas em diferentes períodos, interligando-se entre si. As mais recentes – caixas de madeira com pequenas intervenções sobre a poética do mar – marcam esse lugar das memórias coletivas que temos, desde a infância, acerca da ida ao mar, dos vários caminhos que nos ligam à costa marítima, à sua brisa; aos cheiros característicos; aos seus sons fortes. "O meu interior é uma atenção voltada para fora", já escreveu Sophia que de mar e de gente entendia como ninguém.

O mar é esse interior, esse "segredo íntimo" que se desdobra em Tim e em António - essa vontade de exteriorizar a experiência atenta a este elemento central, fértil em pensamento, mensagem e imaginação.

 

Elisa Ochoa

Curadora

 

 755 3

 

 

Tim Madeira, nasceu em Lisboa em 1955
Pintor | Artista têxtil | Escultor

Curso de fotografia e comunicação visual, Ar.Co, Lisboa - 1976/1981
Frequentou o curso de belas-artes, FBAUL, Lisboa - 1982/1984
Frequentou o curso de arquitetura, Faculdade de arquitetura, em Madrid - 1982/1986

Tim Madeira recebeu um prémio de arte do Museu de Arte Contemporânea de Jiuxian, in 2009, pelo crítico de arte Michel Batle.
Em 2015, o artista foi convidado a intervir numa parede/mural na Fundação Champalimaud.

Exposições individuais
. Casa da Avenida, Setúbal, 2019
. MAC, Lisboa, Portugal, 2019
. Museu Nacional Grão Vasco, Viseu, 2019
. Seven Skirts Gallery, Nazaré, 2019
. Art-Fact gallery, Aroeira, Seixal, Portugal, 2019
. Teresa Vasquez Gallery, Sintra, 2018
. Centro municipal de cultura, Azores, 2017
. Flores do cabo gallery, Sintra, Portugal, 2017
. Museu do arroz store, Comporta, Alcácer do Sal, 2017
. Espaço exibicionista, Lisbon, Portugal, 2016
. Galeria de arte do Estoril, Estoril, Portugal, 2016
Exposições coletivas
. "Do vento ao fundo do mar", Centro Cultural de Cascais, Portugal 2021
. "Art as hope", Centro Cultural de Cascais, Cascais, Portugal, 2020
. "Landscape of the now", Taguspark, Oeiras, 2020
. "Beyond off head", Taguspark, Oeiras, 2020
."Um em todos", Centro cultural de Belém, Lisboa, Portugal, 2020
. Palácio do Egipto - Oeiras municipal centre, Oeiras, Portugal, 2018
. Contemporary Art Museum of Jiuxian, China, 2009

 


 

António Alves da Costa nasceu em 1963, Licenciado em fotografia pela ULHT (Univ. Lusófona).

Trabalhou na Fotosport (Lab. revelação de fotografia) nos anos 80.
Em 1998 integra-se no Atelier "Carlos Cristo" em fotografia, adereços, decoração e máscaras.
Em 2009 expõem no cinema São Jorge "Mercado de Arroios" seriados retratos das suas gentes.
Trabalhou em fotojornalismo p/ Zoomofoco (2010)
Em 2013 entra entra para o teatro pelo o "Trêsmaisum" sendo actor até hoje.
2013 expõem na Galeria Sopro "401 402 204..." e começa a trabalhar como freelancer nesse ano.
Prepara e edita negativos originais para a a publicação do photobook "Insomnia" do fotografo Carlos Medeiros.
Realiza documentário "Cirius" produção da Camara Municipal de Ferreira do Zézere (2015).
(2016) -o Artista Plástico Tim Madeira convida-o e nasce o trabalho "You are watching me" apresentado na "Mostra16". A parceria entre o fotografo e o pintor flui e com "Labirintos de paixão" na Galeria Acervo.
(2017) - Galeria "Centro Municipal de Cultura" com Tim Madeira como artista convidado.
Bienal de Culturas Lusófonas – Odivelas c/ Tim Madeira; Pré-seleção II Bienal de Arte, Vila Nova de Gaia c/ Tim Madeira; Galeria "Arquitectamus" c/ Paula Castro Freire, Fátima Nina e Tim Madeira.
(2018) - Curador/parceiro na "Art-fact Gallery", Herdade da Aroeira, Portugal.
Galeria "Art-fact", com Teresa Mendonça e António Alves da Costa, Herdade da Aroeira, Portugal.
Galeria "MAC-Movimento Arte Contemporânea" com, Sicho Art, Norberto Nunes, Tim Madeira, Martinho Dias, João Duarte, João Barros Silva, Ricardo Paula, Lurdes Leite e Cruzeiro Seixas. Lisboa Portugal.
Galeria "Espaço Anahory" com, José Anahory, Rosa Anahory, Alessandra Romani, Teresuco Leitão, Sandra Magalhães, Tim Madeira, Mimon and Domino-Woodwork. Lisboa, Portugal.
(2019) - Galeria "PT/Altisse Fundação", com Isabel Contreras Botelho e Tim Madeira, Lisboa, Portugal.
- Galeria Art-fact "Tango" fotografia e ceramica com Helena Brizido
-Workshops de pintura criativa, "D,Arte Liberdade" (x3) nas escolas públicas, EB1 Beato e EB1 -