185 EMVOZALTA Manuel Resende

 

 

 

 

 JORGE SILVA MELO APRESENTA CICLO MANUEL RESENDE

 

755 Manuel Resende


Manuel Resende

Todos os sábados de 21 de novembro a 18 de dezembro

 

MANUEL RESENDE (1948) Nascido no Porto e herdeiro, ainda que não assumido, das tradições literárias anarquista e surrealista tem dedicado grande parte da sua vida à poesia, quer como autor, quer como tradutor principalmente do grego. Estreou-se, em 1983, com Natureza Morta com Desodorizante, a que se seguiria. Em Qualquer Lugar (1998) e O Mundo Clamoroso, Ainda (2004). Em 2018 a editora Cotovia reuniu a sua obra em Poesia Reunida.

 

 

 

 

 

 

 

 

A Palavra Lágrima (Manuel Resende) – Jorge Silva Melo
Entre Nós e as Palavras (Mário Cesariny) – Maria João Luís

 

 

 

Um Homem Pela Rua nº 1 (Manuel Resende) – Manuel Wiborg
Um Homem pela Rua nº 2 (Manuel Resende) – Manuel Wiborg
Se Não Fosse (Manuel Resende) – Nuno Gonçalo Rodrigues
Procura a Carne (Manuel Resende) – Luís Lucas

 

 

 

Erros Meus, Má Fortuna, Amor Ardente (Luis de Camões) – Catarina Wallenstein
Porto Cidade sem Nome (Manuel Resende) – João Meireles
3 Sonetos Para os Amigos Mortos (Manuel Resende) – Jorge Silva Melo

 

 

 

O Actor (Herberto Helder) – Lia Gama
A Morte do Soldado (Manuel Resende) – João Meireles

 

 

 

Um Adeus Português (Alexandre O'Neill) - Jorge Silva Melo
Poema (Manuel Resende) – Manuel Wiborg
A Voz que se Ergue dos Ferros (Manuel Resende) – Luís Lucas

 

 

 

Na Mão de Deus (Antero de Quental) - Catarina Wallenstein
Aqui (Armando Silva Carvalho) – Luís Lucas

 

 

 

Comendo uma Cereja (Manuel Resende) – João Meireles
Há uma Grande Necessidade de Vida (Manuel Resende) – Manuel Wiborg

 

 

 

 

Matinas (Manuel António Pina) – Nuno Gonçalo Rodrigues
Em Todas as Ruas te Encontro (Mário Cesariny) - Maria João Luís
Já da Mansa Baía as Naus se Apartam (Manuel Resende) – Jorge Silva Melo

 

 

 

 

x  x  x

 

 

ANTÓNIO SIMÃO


Tem os cursos do IFICT (1992) e IFP (1994). No teatro trabalhou com Margarida Carpinteiro, António Fonseca, Aldona Skiba-Lickel, Ávila Costa, João Brites, Melinda Eltenton, Filipe Crawford, Joaquim Nicolau, Gil Lefévre-Kiraly, François Berreur, Antonino Solmer, Jean Jourdheuil, Pedro Carraca, João Meireles e João Pedro Mamede. Integra os Artistas Unidos desde 1995, onde trabalhou em mais de 70 espetáculos como ator, encenador, assistente e produtor.

 

CATARINA WALLENSTEIN


Trabalhou com José Nascimento, Gael Morel, Manoel de Oliveira, João Botelho, Artur Araújo, Rúben Alves. Nos Artistas Unidos participou em Não se Brinca com o Amor de Alfred de Musset (2011-12), A Estalajadeira, de Carlo Goldoni (2013), Gata em Telhado de Zinco Quente de Tennessee Williams (2014) e Doce Pássaro da Juventude de Tennessee Williams (2015).

 

JOÃO MEIRELES


Tem o curso do IFICT (1992). Trabalhou com Luís Varela, Manuel Borralho, Ávila Costa, Adolfo Gutkin, Aldona Skiba-Lickel, José António Pires, o Pogo Teatro e o Teatro Bruto. Integra os Artistas Unidos desde 1995, onde participou, mais recentemente, em Gata em Telhado de Zinco Quente de Tennessee Williams (2014), As Histórias do Senhor Keuner de Bertolt Brecht (2015) e Jogadores de Pau Miró (2016).

 

JORGE SILVA MELO


Estudou na FLUL e na London Film School. Estagiou com Giorgio Strehler em Milão e com Peter Stein em Berlin. Fundou o Teatro da Cornucópia em 1973. Fundou em 1995 os Artistas Unidos de que é diretor artístico.

 

LIA GAMA


Estudou na Escola René Simon em Paris. Trabalhou no Teatro Estúdio de Lisboa, no Teatro Experimental de Cascais, na Casa da Comédia, no Teatro da Cornucópia, no TNDMII, entre outros, em peças de Gorki, J. Jourdheuil, Horvath, Jorge Silva Melo, Benjamino Joppolo, Ricardo Pais, Pirandello, Harold Pinter, Joe Orton, Bertolt Brecht, Jean Anouilh, Ustinov, Y. Jamiacque, Racine, G. Lobato,Natália Correia, Genet, Gombrowicz, Shakespeare, Santareno e P. Shaeffer, etc.

 

LUÍS LUCAS


Estreou-se em 1972 no Teatro da Comuna de que foi um dos membros fundadores. Em França estagiou no Théatre du Soleil e foi assistente de Jean Jourdheuil e Patrice Chéreau. Tem desde então trabalhado com o Teatro da Cornucópia, Osório Mateus, Teatro da Graça, Teatro Nacional D.Maria II e muito frequentemente no cinema com realizadores como João Botelho, José Álvaro Morais, Manoel de Oliveira, Solveig Nordlund, Jorge Silva Melo e Eduardo Geada.

 

MANUEL WIBORG


Estreou-se no teatro com Amo-te de Abel Neves (enc.: Almeno Gonçalves - Teatro da Cornucópia). Fundou os APA - Actores Produtores Associados para quem dirigiu Universos e Frigoríficos de Jacinto Lucas Pires. Trabalhou também com Jean Jourdheuil, Luís Pais, António Cabrita, Mala Voadora, Companhia de Teatro de Almada e Cortina de Fogo - Teatro Urbano. Na televisão é presença regular desde 1992.

 

MARIA JOÃO LUÍS


Estreou-se em 1985 n'A BARRACA. Trabalhou na Casa da Comédia, Acarte, Malaposta, Comuna, Cornucópia, TNDMII, Teatro do Bairro, TNSJ. Dirige atualmente o Teatro da Terra, sediado em Ponte de Sor. Interpretou várias peças na televisão, assim como séries e novelas. Nos Artistas Unidos participou recentemente em Doce Pássaro da Juventude (2015) e A Noite da Iguana de Tennessee Williams (2017).

 

NUNO GONÇALO RODRIGUES


É diplomado pela ESTC. Em 2013, em conjunto com João Pedro Mamede e Catarina Rôlo Salgueiro, fundou OS POSSESSOS. Nos Artistas Unidos participou mais recentemente em A Noite da Iguana de Tennessee Williams, A Vertigem dos Animais Antes do Abate de Dimítris Dimitriádis (2017), O Grande Dia da Batalha de Máximo Gorki e Jorge Silva Melo (2018) e Retrato de Mulher Árabe que olha o mar, de Davide Carnevali (2018).

 

PEDRO CARRACA


Trabalhou com António Feio, Clara Andermatt, Luís Miguel Cintra, João Brites, Diogo Dória e Maria do Céu Guerra. Integra os Artistas Unidos desde 1996. Recentemente participou em O Novo Dancing Eléctrico (2016), A Noite da Iguana de Tennessee Williams, O Cinema de Annie Baker e A Vertigem dos Animais Antes do Abate de Dimítris Dimitriádis (2017).