Frontpage Slideshow (version 2.0.0) - Copyright © 2006-2008 by JoomlaWorks
Início Exposições Em exibição VIRAGEM DE ÉPOCA
VIRAGEM DE ÉPOCA
755 nicolau

 

 

 

 

 

Viragem de Época


100 anos da execução do último Imperador russo

 

 

A exposição "Viragem de época" é dedicada aos últimos anos do reinado do Imperador russo Nicolau II e ao acontecimento trágico no dia 17 de julho de 1918 na cidade de Ekaterinburgo – a execução de Nicolau II e da sua família. As fotografias e informação da exposição vão ajudar a recriar as imagens da vida dos últimos Romanov e sentir a viragem trágica que aconteceu na Rússia naqueles tempos difíceis.


Em 2 de março de 1917, o Imperador Nicolau II assinou a abdicação do trono, em seu nome e de seu filho, o Tsarevich Alexei. Com isso, acabou o império da dinastia Romanov, que estivera no poder de uma das mais importantes potencias europeias, e não só, durante mais de trezentos anos.


Mikhail Feodorovich Romanov, o fundador da dinastia Romanov, foi eleito por unanimidade czar da Rússia por uma assembleia nacional em 1613, depois dos "tempos de perturbação", de uma época das guerras, conflitos internos e da fome. Durante a dinastia Romanov (1613-1917), a Rússia significativamente alargou as suas fronteiras e tornou-se um dos maiores e prósperos impérios e deu ao mundo grandes e brilhantes realizações na ciência, na literatura e nas artes, na pintura e na música.


A abdicação do Tsar Nicolau II foi provocada pela Revolução de Fevereiro de 1917. A Revolução trouxe à superfície toda uma série de situações de conflito estrutural, vindo a ter como consequência a Revolução de Outubro e o fim do Império – e uma completa mudança do regime de governo do país.


A Grande Revolução Russa de Outubro foi acontecimento que influenciou a história do seculo XX, o desenvolvimento das sociedades e os sistemas políticos em todo o mundo.


A queda do poder autocrático foi recebido pela maioria da população russa com grande entusiasmo, mas esse era apenas o inicio de um sério processo revolucionário e de aprofundamento de uma convulsão político-social. Em Outubro de 1917, em consequência de uma insurreição armada, o Partido Bolchevique, liderado por Lenine, chegou ao poder e decidiu, na primavera de 1918, enviar Nicolau II e a sua família inicialmente para a cidade de Tobolsk e depois para a de Ekaterinburgo. Onde, na noite de 17 de julho de 1918, foram mortos na casa Yepatiev, onde estavam hospedados. Foram assim assassinados Nicloau II, sua mulher Alexandra Feodorovna e os filhos, as Grã-Duquesas Olga, Tatiana, Maria, Anastassia, e o Tsarevich Alexei.


O lugar onde foram sepultados foi desconhecido durante muito tempo. Mas, finalmente, os restos mortais de Nicolau II e de sua família em 1998 foram transportados para S. Petersburgo, antiga capital do Império Russo, e com solenidade sepultados, na presença de altos dignatários do Estado. Em 2000, foram glorificados pela Igreja Ortodoxa Russa como santos mártires.


Entretanto, naquele dia 2 de março de 1917, dia da abdicação do Nicolau II, fora descoberto em Kolomesnkoye, propriedade dos Czares russos nos arredores de Moscovo, um ícone de Nossa Senhora "Toda Poderosa". Tendo o ícone sido descoberto em 2 de março de 2017, o acontecimento ganhou um significado muito particular. Para muitos fiéis, significava que Nossa Senhora tomara, ela própria, a seu cuidado a Rússia.


A descoberta deste ícone rapidamente se tornou conhecida. Muitos fiéis ficaram convictos de que Nossa Senhora não os abandonara naquela hora difícil da guerra e de crescente conflito interno.


Em 1929, o ícone de Nossa Senhora Toda Poderosa foi enviado para as reservas do Museu Histórico. Ao mesmo tempo, os fiéis da Igreja Russa no Exterior (constituída pelos russos que haviam saído do país após a Revolução de Outubro) tinham especial veneração a Nossa Senhora Toda Poderosa.


No início dos anos 90 do século passado, quando se normalizaram as relações entre o Estado e a Igreja Ortodoxa Russa, o ícone de Nossa Senhora Toda Poderosa foi entregue, por acordo assinado em 23 de julho de 1990, à igreja de Nossa Senhora de Kazan, a título permanente. A igreja de Nossa Senhora de Kazan de Kolomenskoye é um edifício do século XVII e uma das mais antigas igrejas de Moscovo historicamente relacionadas com a família real. Ali se tornou um dos mais importantes ícones daquela igreja.


O ícone de Nossa Senhora Toda Poderosa é considerado símbolo da reunião da Igreja Ortodoxa Russa e da Igreja Russa no Exterior, alcançada em 2007. Em 2008, o ícone foi apresentado pela Igreja Ortodoxa Russa em muitas igrejas russas no estrangeiro, para comemorar aquela união. As atividades comemorativas tiveram lugar em países da Europa ocidental, Américas Latina, Estados Unidos, Canada e Austrália, tendo estado em Fátima.


Os objetos expostos nesta exposição – fotografias de documentos raros, de retratos, ícones e fotografias com ligação com muito importantes páginas da história russa – a Revolução de Fevereiro de 1917 e a execução da família imperial.


Esperamos que esta exposição desperte o interesse dos espectadores e sirva como introdução a algumas das contraditórias e bastante difíceis páginas da historia contemporânea da Rússia.

 

 

 

 

Viragem de Época


Centenário do Regicídio na Rússia

 

 

 1 420x500

1.

Ilia Galkin
RETRATO DO IMPERADOR NICOLAU II
1898

Nicolau II (1868-1918) – último Imperador russo (1894-1917), coroado em 1896, filho mais velho do Imperador Alexandre III. Casado com Aleksandra Feodorovna, nascida Princesa Alice de Hessen-Darmstadt. Apesar do acelerado desenvolvimento económico da Rússia, durante o seu reinado, a conflitualidade social e política levou o país às revoluções de 1905 e 1917. Abdicou o trono em março de 1917. No Verão do mesmo ano foi exilado em Tobolsk. Na Primavera de 1918, foi transferido, por ordem dos bolcheviques, para Ekaterimburgo. Onde foi morto em julho de 1918, com toda a sua família. Em 2000, foi proclamado santo pela Igreja Ortodoxa Russa.

 

2.

AS COMEMORAÇÕES DOS TREZENTOS ANOS DA DINASTIA ROMANOV
1913

1917 foi o último ano de governo da dinastia Romanov.
Durante esta dinastia (1613-1917) a Rússia ampliou significativamente as suas fronteiras, tornou-se um dos maiores e prósperos impérios, deu ao mundo importantes descobertas e obras no domínio das ciências, literatura, artes e música.

 

3.

CRÓNICAS DA CASA ROMANOV
1913

Retratos do primeiro e do último Czares Romanov - Mikhail Feodorovich e Nicolau II

 

4.

CRÓNICAS DA CASA ROMANOV
1913

Retratos da primeira e da última Czarinas Romanova – Evdokia Lukiaynovna e Aleksandra Feodorovna

 

5.

ÍCONE "NOSSA SENHORA FEODOROVSKAYA COM MILAGRES"
Século XVII

Ícone "Nossa Senhora Feodorovskaya"- santa protetora dos Romanov. O fundador da dinastia Mikhail Feodorovich é dito ter recebido a bênção para o seu reinado do ícone de Nossa Senhora Feodorovskaya.

 

6.

IMPERATRIZ ALEKSANDRA FEODOROVNA
(1872-1918)

Nascida princesa Alice de Hesse e Darmstadt, era filha de Luís IV, Grão-Duque de Hesse e Reno, e da princesa Alice do Reino Unido, segunda filha da rainha Vitória. Alice mudou o nome para Alexandra quando se converteu à Igreja Ortodoxa Russa. Do casamento com Nicolau II nasceram quatro filhas e um filho Alexei - herdeiro do trono russo. Foi executada com toda sua família em 17 de julho de 1918 em Ekaterimburgo.

 

7.

ÍCONE "SÃO SERAFIM DE SAROV"
1903

Serafim de Sarov (morreu em 1833) - foi um monge e taumaturgo ortodoxo e um dos santos mais venerados da Igreja Ortodoxa Russa. Foi glorificado em 1903 por iniciativa de Imperador Nicolau II, que considerava que o tão longamente esperado herdeiro do trono russo nascera por graça das orações a Serafim de Sarov.

 

8.

IMPERADOR NICOLAU II E IMPERATRIZ ALEKSANDRA FEODOROVNA
1890

São-Petersburgo. 1895

 

9.

NICOLAU II COM O HERDEIRO DO TRONO RUSSO,
SEU FILHO ALEXEI, O PRIMO-IRMÃO REI DO REINO UNIDO JORGE V E O SEU FILHO
1910

Os Romanov tinham ligações com várias casas reais europeias.

OS FILHOS DO NICOLAU II A PARTICIPAR NUMA RECOLHA DE OFERENDAS PARA A SOCIEDADE CONTRA A TUBERCULOSE
Crimeia, Palácio de Livadia, casa de verão do último czar russo, Nicolau II
1914

 

10.

REUNIÃO DO COMANDO SUPERIOR MILITAR
Mogiliov. Abril 1916

No inicio do ano de 1917, a Rússia estava envolvida, desde há 2 anos e meio, na Grande Guerra e tinha sofrido perdas pesadas em pessoas e territórios. O conflito tinha abalado o sistema político e a economia do país e destruído o sistema social em que o regime assentava.

 

11.

IMPERADOR NICOLAU II

Em 2 de março de 1917 o Imperador Nicolau II assinou a abdicação do trono, em seu nome e de seu filho, o Tsarevich Alexei. Em Outubro de 1917, o Partido Bolchevique, liderado por Lenine, chegou ao poder e decidiu, na primavera de 1918, enviar Nicolau II e a sua família para a cidade de Ekaterinburgo. Onde, na noite de 17 de julho de 1918, foram mortos na casa Yepatiev, onde estavam hospedados.

 

12.

TSAREVICH ALEXEI NICOLAEVICH
(1904-1918)

Quinto filho, e único filho varão, de Nicolau II e de Aleksandra Feodorovna. Executado em Ekaterinburgo em 17 de julho de 1918 com os seus pais, irmãs e criados. Foi glorificado pela Igreja Ortodoxa Russa como santo mártir.

 

13.

CARRUAGEM-GABINETE DO COMBOIO REAL

Em 2 de março de 1917, num comboio bloqueado na estação de Dno, perto de Pskov, o Imperador Nicolau II assinou a abdicação do trono, em seu nome e de seu filho, o Tsarevich Alexei

 

14.

DIÁRIO DO IMPERADOR NICOLAU II
Inscrição no dia 2 de março de 1917

"Necessária a minha abdicação... Tornou-se claro que para a salvação da Rússia e para a permanência e em ordem do exército na linha de frente era necessário tomar esta decisão. Concordei ... EM VOLTA, TRAIÇÃO E COBARDIA E MENTIRA!"

 

15.

LIMPEZA DE NEVE. NICOLAU II COM O FILHO NUM PARQUE PERTO DO PALÁCIO DE ALEXANDRE
Tsarskoe Selo. Primavera 1917

ABASTECIMENTO DA LENHA PARA O INVERNO
Tsarskoe Selo. Junho 1917
Do álbum fotográfico da Grã-Duquesa Anastasia Nicolaevna

Desde março de 1917 que Nicolau II e a sua família viviam sob prisão no Palácio de Alexandre em Tsarkoye Selo, perto de Petrogrado. Em agosto de 1918 a família imperial foi transferida para a cidade de Tobolsk, na Sibéria, em seguida sendo mudados para Ekaterimburgo, nos Urais.

 

16.

DOCUMENTOS DE ENTREGA DE ALIMENTOS PARA O TSAREVICH ALEXEI
E PARA OS OFICIAIS DA GUARDA DO PALÁCIO DE ALEXANDRE
Junho-julho 1917

"Entrega de confeitaria para o apartamento de Alexei Nicolaevich, rebuçados de nata, cerca de meio kilo".

"Entrega ao bufete dos oficiais da guarda de chá, açúcar e pão".

"Entrega pela dispensa de rebuçados de nata, cerca de um kilo, para viagem".

 

17.

ÍCONE "JOB"
Século XVII

Job foi um santo (patrono) pessoal do Imperador Nicolau II. É um personagem do livro mais antigo da Bíblia, do Livro de Job do Antigo Testamento. Satanás desafia a integridade de Job, e Deus permite que Satanás interfira na sua vida, resultando na tragédia de Job: a perda instantânea de seus bens, de seus filhos e da sua saúde. Job, porém, não blasfemou contra Deus e o Senhor devolveu a Job em dobro tudo o que antes possuía.

 

18.

IMPERADOR NICOLAU II, IMPERATRIZ ALEKSANDRA FEODOROVNA,
O HERDEIRO DO TRONO TSAREVICH ALEXEI, GRÃ-DUQUESAS OLGA, TATIANA, MARIA E ANASTASIA, NO IATE REAL "SHTANDART"
1908

 

19.

RETRATO DO PATRIARCA DO MOSCOVO E DE TODA A RÚSSIA TIKHON
(1865-1925)
Seculo XX

Em 21 de junho 1918, durante a liturgia na Catedral de Kazan, em Moscovo, o Patriarca Tikhon condenou a execução da família real: "Aconteceu uma tragédia: foi executado o antigo Imperador Nicolau Aleksandrovich. Temos, obedecendo às palavras de Deus, que condenar este ato, caso contrário o sangue dos assassinados ficará também nas nossas mãos, juntando-nos às pessoas, que o fizeram. Sabemos que ele assinou a abdicação do trono, pensando no bem e por amor a pátria. Podia, depois da abdicação, encontrar segurança e sossego fora do país mas não fez isso, querendo sofrer com a Rússia. Nada fez nada para melhorar a sua situação, submetendo-se resignadamente ao destino".

 

20.

ÍCONE "SANTOS REAIS MÁRTIRES TSAR NICOLAU, TSARITSA ALEKSANDRA,
TSAREVNI OLGA, MARIA, TATIANA, ANASTASIA, TSAREVICH ALEKSEY"
2008

Representação da família do último Imperador russo Nicolau II. A família do ultimo Imperador russo Nicolau II foi glorificada pela Igreja Ortodoxa Russa, em 2000, como santos mártires reais "strastoterptsi", designando aqueles santos que, imitando Cristo, suportaram sofrimento físico e moral e a morte da parte dos seus adversários.

 

21 333x500 copy

21.

ÍCONE DE NOSSA SENHORA "TODA PODEROSA"

Em 2 de março de 1917, em Kolomenskoye, propriedade dos Czares russos nos arredores de Moscovo, foi descoberto um ícone de Nossa Senhora "Toda Poderosa"

No ícone, Nossa Senhora está sentada num trono, como Rainha do Céu, com o orbe e cetro nas mãos e coroada. Nos joelhos, está sentado Jesus. Na parte superior do ícone está desenhada a figura de Deus Pai.
Tendo o ícone de Nossa Senhora Toda Poderosa sido descoberto em 2 de março de 2017, no momento da abdicação do Imperador Nicolau II, o acontecimento ganhou significado muito particular. Para muitos fiéis, significava que Nossa Senhora tomara, ela própria, a seu cuidado a Rússia.

 

22.

Durante séculos, Kolomenskoye foi propriedade de verão dos Czares russos nos arredores de Moscovo. Neste momento, Kolomenskoye é um dos maiores museus na Rússia. No centro da propriedade, encontra-se a Igreja da Ascensão, do seculo XVI, magnífico edifício pela sua beleza e grandeza. Em 1994, a UNESCO classificou esta igreja de Património Cultural da Humanidade.

 

23.

IGREJA DA ASCENSÃO EM KOLOMENSKOYE DE 1532

Lugar de descoberta do ícone de Nossa Senhora Toda Poderosa

 

24.

ÍCONE DE NOSSA SENHORA "TODA PODEROSA"
Moscovo 1917

Uma das primeiras cópias do ícone original. Inscrição na parte inferior do ícone:
"Cópia do milagroso ícone de Nossa Senhora que foi descoberto em Kolomenskoe em 1917".
Na tradição ortodoxa, fazem-se cópias dos ícones mais venerados.

 

25.

PROCISSÃO EM HONRA DE NOSSA SENHORA "TODA PODEROSA"
1926

Durante séculos, procissões com os ícones mais venerados foram testemunho da fé dos ortodoxos russos na ajuda e proteção dos seus santos.
A descoberta deste ícone tornou-se conhecida no momento da abdicação do Imperador Nicolau II e eram muitas as pessoas que queriam ir a Kolomenskoye venerar o ícone.

 

26.

LENÇO PARA O ÍCONE DE NOSSA SENHORA "TODA PODEROSA"
Moscovo 1917

Lenços, feitos dos tecidos mais valiosos, colocavam-se por baixo dos ícones mais venerados, como um sinal de particular devoção. Está bordada a inscrição: "Vitoriosa Toda Poderosa ensina-nos a pedir perdão."

 

27.

IGREJA DE NOSSA SENHORA DE KAZAN EM KOLOMENSKOYE
Desenho de 1809 e vista atual

Desde 1990, o ícone de Nossa Senhora Toda Poderosa encontra-se na Igreja de Nossa Senhora de Kazan em Kolomenskoye

 

28.

MISSA EM HONRA DO ÍCONE DE NOSSA SENHORA TODA PODEROSA

Argentina, Buenos Aires, 2008
O ícone de Nossa Senhora Toda Poderosa tornou-se símbolo do momento mais importante da vida da Igreja Ortodoxa Russa do século XXI, a restauração da unidade do Patriarcado de Moscovo e da Igreja Ortodoxa Russa no Exterior. Em 2008, o ícone pode ser visto em muitas dioceses russas pelo mundo.

 

29.

O PRESIDENTE DA FEDERAÇÃO RUSSA, VLADIMIR PUTIN,
E O PATRIARCA KIRILL NA INAUGURAÇÃO DA EXPOSIÇÃO "RÚSSIA ORTODOXA"
Moscovo, 2015

O ícone de Nossa Senhora Toda Poderosa foi apresentado na exposição aos fiéis como símbolo da unidade intangível da Rússia.

 

30.

O PATRIARCA DE MOSCOVO E DE TODA A RÚSSIA KIRILL NA EXPOSIÇÃO EM KOLOMENSKOYE
Moscovo, 2017

No Museu de Kolomenskoye teve lugar, com grande sucesso, a exposição "Nossa Senhora Toda Poderosa Protetora da Rússia", em honra deste ícone. A presença do Patriarca Kyrill deu particular significado a esta exposição.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Agenda

<<  Julho 2018  >>
 Se  Te  Qu  Qu  Se  Sá  Do 
        1
  2  3  4  5  6  7  8
  9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031