mpq 2017

 

O Moscow Piano Quartet (Quarteto com Piano de Moscovo, MPQ) que tem sofrido algumas alterações na sua composição, foi criado em Moscovo em 1989 pelo pianista Alexei Eremine e pelo violoncelista Guenrikh Elessine. É uma das mais destacadas formações de música de câmara residentes em Portugal. Marcado pela aprendizagem com mestre Valentin Berlinski - violoncelista do Quarteto Borodine - o MPQ tem vindo a divulgar todas as obras escritas para violino, violeta, violoncelo e piano, do período clássico aos nossos dias. Com atuações por toda a Europa e no Japão, em 2001 o MPQ foi condecorado com a «Medalha de Mérito Cultural do Concelho de Cascais», pelo seu trabalho realizado desde 1993 como Quarteto Residente. O grupo tem vindo a realizar diversas primeiras audições e estreias em Portugal, sendo convidado regular das principais instituições de concertos e festivais do país.





 

 

  T E M P O R A D A   2 0 1 8  

  

 

2 5   A n o s

 

 

MOSCOW PIANO QUARTET

 

Quarteto Residente de Cascais  

 

 

 

O Moscow Piano Quartet comemora em 2018 os seus 25 anos como Quarteto Residente de Cascais. Para corresponder aos pedidos do seu público, escolheu Brahms como fio condutor e entre abril e junho apresenta a integral dos seus quartetos com piano a par de quartetos com piano russos e portugueses. Em outubro e novembro juntam-se a ele dois extraordinários violinistas convidados para interpretar os quintetos com piano de Brahms, Schumann, Dvořák e Chostakovitch,

 

 

  AUDITÓRIO CENTRO CULTURAL DE CASCAIS   

 

 

 Programa 1 


29 de abril 17h


 

Alexandre Delgado

Canteto para quarteto com piano


Eduard Napravnik

Quarteto com Piano em lá menor


Johannes Brahms

Quarteto com Piano nº 3 em dó menor

 

 

 Programa 2 


27 de maio 17h


 

Sérgio Azevedo/Fernando Lopes-Graça

Horas Pastoris


Anton Rubinstein

Quarteto com Piano em dó maior


Johannes Brahms

Quarteto com Piano nº 2 em lá maior

 

 

 Programa 3 


24 de junho 17h


 

Joly Braga Santos

Quarteto com Piano em ré


Serguei Taneiev

Quarteto com Piano em lá maior


Johannes Brahms

Quarteto com Piano nº 1 em sol menor

 

 

 Programa 4 


21 de outubro 17h


 

Robert Schumann

Quinteto com Piano em mi bemol maior


Johannes Brahms

Quinteto com Piano em fá menor


Artista convidado

Laurent Albrecht Breuninger (violino)

 

 

 

 Programa 5 


16 de dezembro 17h


 

Dmitri Chostakovitch

Quinteto com Piano em sol menor


Antonin Dvořák

Quinteto com Piano em lá maior


Artista convidado

Mikhail Shmidt (violino)

 

 

 

 

 

IMG 3104 2 750

Alexei Eremine (piano), Maria Castro Balbi (violino), Alexandre Delgado (violeta), Guenrikh Elessine (violoncelo)

 

ALEXEI EREMINE
(piano)
 
 
ALEXANDRE DELGADO
(violeta)
 

Nasceu em Moscovo em 1964. Iniciou os estudos de piano aos 6 anos na Escola de Música Gnessin vindo a terminar cum lauda o Curso Superior no Instituto Pedagógico de Gnessin, nas classes de Alexander Satz (Piano) e de Valeri Samoliotov e Irina Anastasieva (Música de Câmara). Com o Trio Gnessin, que formou nessa altura, realizou tournées por várias cidades da União Soviética. Em 1990 participou com M. Arguerich, A. Rabinovitch e A. Batagov num CD com música de A. Rabinovitch, galardoado com um Diapason d'Or. É membro fundador do Moscow Piano Quartet (MPQ), primeira formação do género na Rússia, criada em 1989 e com a qual efectuou inúmeros concertos em Moscovo e S. Petersburgo, bem como digressões na Letónia, em Portugal, Espanha França., Itália, Alemanha, Grécía, Japão e Benelux. O grupo participou nos festivais do Estoril, de Sintra, do Algarve, de Alcobaça, de Mafra, de Assisi, de Palma de Maiorca, de Macau, de Kreuth, entre outros, e reside desde 1993 em Cascais com o estatuto de "Quarteto Residente". Eremine é co-director artístico do Festival de Castelo Branco e tem actuado com músicos como N. Gutman, M. Berlinskaia, V. Samoliotov e M. Gerónimo. Em 1998 organizou no Porto o concerto para sete pianos que reuniu Pedro Burmester, António Rosado, Luis Miguel Borges Coelho, Fausto Neves, Jaime Mota e Luis Filipe Sá, interpretando uma obra de Vladimir Martinov em estreia mundial e obras de Steve Reich e Morton Feldman, numa actuação gravada em CD pela etiqueta BMG. Foi professor no Instituto Gnessin e na Escola Profissional de Arcos do Estoril, leccionando actualmente na Academia Nacional Superior de Orquestra.

 

Nasceu em Lisboa em 1965. Estudou na Fundação Musical dos Amigos das Crianças e foi aluno em composição de Joly Braga Santos e de Jacques Charpentier, diplomando-se com o 1.º prémio do Conservatório de Nice em 1990. Entre a sua o produção sobressai a música de câmara (Quarteto de Cordas, Burlesca, Langará, The Panic Flirt), a música concertante (Concerto para Flauta e Orquestra, Concerto para Violeta e Orquestra) e a música vocal (Turbilhão, Poema de Deus e do Diabo). A sua ópera de câmara O Doido e a Morte (1993) foi estreada no Teatro de São Carlos e no Theater Am Halleschen Ufer em Berlim, sob sua direcção. Vencedor do Prémio Jovens Músicos em 1987, estreou como solista o seu Concerto para Violeta em Portugal, Espanha e Holanda. Membro do Quarteto Lacerda desde 1990 e do Moscow Piano Quartet desde Janeiro de 2005, é director artístico do Festival de Música de Alcobaça. Assina o programa A Propósito da Música na Antena 2 desde 1996 e é autor dos livros A Sinfonia em Portugal e A Culpa é do Maestro - crítica musical 1990/2000, editados na Caminho. É co-autor do livro Luís de Freitas Branco, publicado em Maio de 2007 pela mesma editora, primeira obra de fundo dedicada ao compositor. 

 

 

 

 

 

.

 37520      37520
GUENRIKH ELESSINE
(violoncelo)
 
 
MARIA CASTRO BALBI
(violino)
 

Iniciou os seus estudos musicais e de violoncelo em Moscovo aos 6 anos de idade. Em 1985 conclui o mestrado no Instituto Musical e Pedagógico de Gnessin pelo qual é convidado a leccionar nas classes de Quarteto e Música de Câmara e onde trabalhou até à sua vinda para Portugal em 1991. Laureado com o 2º Prémio no Concurso de Violoncelo da Federação Russa em 1985 e o 3º Prémio no Concurso de Quartetos de Cordas da U.R.S.S., em 1987. Foi membro do Quarteto Gossteleradio (da Rádio e Televisão Estatal ) da Federação Russa de 1987 a 1989, com o qual fez inúmeras gravações para os arquivos da rádio e televisão, alguns editados posteriormente em CD. Actuou em mais de 150 concertos por toda a União Soviética, Índia, Algéria e Itália. Em 1989 fundou o Moscow Piano Quartet , com o qual tem actuado em concertos pela Rússia, Europa e, Macau e Japão. Ao longo da sua carreira apresentou-se em palco com artistas de renome dos quais são exemplo o Quarteto Borodine, Natália Gutman, Naum Starkman, Dmitri Alekseev, António Saiote, entre muitos outros. Trabalhou de perto com o compositor Alfred Schnittke, tendo sido um dos primeiros intérpretes do seu 3.º Quarteto de Cordas e do Quarteto com Piano. É co-director artístico do Festival Internacional de Música de Castelo Branco desde a 1.ª edição.

 

.

 

 Nasceu em Lima, no Perú, e começou a estudar piano aos três anos de idade e violino aos cinco. Apresenta-se regularmente na Ásia, na Europa e nos Estado Unidos da América. Como solista, atuou recentemente numa digressão em França, com a Orchestre d'Aubagne, e em Lisboa, com a Orquestra Gulbenkian. Frequentou o Conservatório Nacional de Lyon, em França, onde se diplomou com as Medalhas de Ouro em violino e solfejo. Estudou posteriormente no Conservatório Nacional Superior de Música de Paris tendo recebido os prémios em violino e música de câmara. Mais tarde, estudou com Phillip Hirshorn e Viktor Liberman na Hochschule von dem Kunsten, na Holanda, e com Tibor Varga na École des Archets, na Suíça. Frequentou cursos de aperfeiçoamento orientados por Zakhar Bron, Augustin Dumay, Alexis Galpérine, Edward Schmieder, Boris Belkin e Stefan Giorgiu, entre outros, e participou em importantes festivais, como o Festival des Arcs (França) e o Holland Music Sessions. É membro fundador do grupo de fado Trinados, tendo realizado digressões no Brasil, Marrocos, Portugal, Espanha e Estados Unidos da América. Maria Balbi reside em Lisboa, onde integra o corpo docente do Instituto Piaget e é professora de violino na Academia Metropolitana de Música de Lisboa.

.

 

 

     
MIKHAIL SHMIDT
(violino)
 
 
LAURENT ALBRECHT BREUNINGER
(violino)
 

Nasceu em Moscovo. Começou os seus estudos musicais aos cinco anos e aos 14 venceu o Concurso Internacional de Música de Câmara "Concertino Prague." Diplomou-se cum laude no Instituto Gnessin em 1987. Os seus principais professores foram Halida Akhtiamova e Valentin Berlinsky, do célebre Quarteto Borodin. Enquanto frequentava o Instituto foi membro do bem sucedido Quarteto de Cordas Gnessin, grupo que também incluía Guenrikh Elessine. Depois de se diplomar tocou na Orquestra Sinfónica Estatal, no Quarteto da Rádio Russa e como concertino da orquestra barroca "Camerata Boccherini". Um dos pontos altos da sua carreira na Rússia foi a colaboração com Alfred Schnittke, um dos maiores compositores dos nossos tempos. Depois de imigrar para os EUA em 1989, Mikhail Shmidt estabeleceu-se como destacado músico de câmara. Foi membro fundador do Bridge Ensemble, com o qual fez bem sucedidas gravações e digressões nos EUA e na Europa. Como violinista convidado do Moscow Piano Quartet, atua regularmente em Portugal e a sua "notável musicalidade" foi saudada pelo jornal Público. Entre os momentos mais destacados da sua atividade em música em câmara encontram-se colaborações com compositores e músicos tão diversos e notáveis como Steve Reich, John Zorn, Bill Frisell, Wayne Horvitz, Giya Kancheli, Paul Schoenfield, Dmitri Sitkovetsky, Vadim Repin, entre muitos outros. Mikhail Shmidt já gravou para as etiquetas Melodia, Delos, Naxos, ECM, Tzadik, Dux, Six Degrees e Inova labels. É membro dos Seattle Chamber Players, o mais importante grupo de música contemporânea do Noroeste Pacífico. 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

.

 

Vencedor do 2.º prémio do "Prix Eugène Ysaye" em 1997, Laurent Albrecht Breuninger foi o primeiro violinista alemão a ficar entre os três primeiros lugares na história do Concurso Rainha Elisabeth em Bruxelas. Este prémio surge na sequência de uma notável lista de distinções que Laurent Albrecht Breuninger venceu previamente em Brescia (1984), Belgrado (1986), Praga (1992), Viena (1992), Berlim e Montreal (1995). No mesmo ano em que foi laureado em Bruxelas, Laurent Albrecht Breuninger venceu o prémio de Composição do Festival de Verão de Brandenburgo com o seu primeiro quarteto de cordas. A longa lista de gravações de Laurent Albrecht Breuninger ilustra um especial interesse por "violinistas compositores": o seu primeiro recital em CD surgiu em 1997 com a sua própria "Passacaglia para violino solo", gravou as obras completas de Eugène Ysaye para violino solo e para violino e piano (a lançar em breve) e para violino e orquestra (CPO), as obras completas de Georges Enesco para violino/viola e piano (Telos, com o pianista Thomas Duis) e concertos de Bériot and Kreutzer (CPO). A sua redescoberta do "Paganini polaco" Karol Lipinski despertou especial interesse e aclamação na imprensa internacional. As gravações (da CPO, com a Orquestra da Rádio Polaca) foram incluídas na "Strad Selection" de outubro de 2006 e descritas como "de cortar a respiração". Seguir-se-á este ano a integral das sonatas de Villa-Lobos (Telos) e no ano que vem dá-se a primeira incursão de Breuninger na interpretação histórica: as Sonatas de C.P.E. Bach com Piet Kuijken em pianoforte (Hänssler). Laurent Albrecht Breuninger fez a sua estreia como solista aos 12 anos com a Orquestra de Câmara de Budapeste, sob a direção de Vladimir Spivakov, no Festival de Tours, França. Desde então, atua como solista em recitais em festivais e salas internacionais (Schwetzingen, Braunschweig Classix, Kissingen, Festivais de Schleswig-Holstein e Mecklenburg-Vorpommern, Echternach, Kuhmo, Bath, Théâtre des Champs-Elysées). Tocou com maestros como Peter Eötvös, Naoto Otomo, Alun Francis, Marc Soustrot, Bruno Weil e Wojciech Rajski. Em 2011, fez e a sua estreia em Tóquio, atuando com a Orquestra Sinfónica de Tóquio. O plano para a próxima temporada inclui atuações no Festival Georges-Enesco em Bucareste e em Seoul, onde tocará com a Orquestra de Câmara da Coreia. De origem franco-alemã, Laurent Albrecht Breuninger estudou na Suíça com with Thomas Füri e completou os seus estudos com o renomado pedagogo Josef Rissin. Trabalhar com os lendários Aaron Rosand e Ivry Gitlis foi uma importante influência para a sua personalidade e maneira de tocar. Como compositor, estudou em Darmstadt com Toni Völker. Laurent Albrecht Breuninger vive em Karlsruhe, onde ocupa o lugar de professor na Escola Superior de Música.