DSC06159 750x422

 

 

 

 

 

 

 

 [Capela]  15 de fevereiro a 16 de abril


 

MAN | Uma Viagem Simbólica: Bairro Histórico de Cascais

 

 

 

 

 

SFundacao D16111515480 447x600

 

 

 

 man

 
UMA VIAGEM POÉTICA E SIMBÓLICA

PELO BAIRRO HISTÓRICO DE CASCAIS
 

 

 

SFundacao D16111515470 350x500
 
SFundacao D16111515480 2 378x500

Deleito-me a viajar

pelas tuas ruas labirínticas,

serpenteando

entre os velhos casarios

dolorosamente construídos,

repletos de vivências ancestrais;

ecos de longínquas memórias

evocações de um povo

olhando o mar. 

 

   

Extasiam-me os teus espaços 

encantatórios, lugares de silêncios, 

afetos, fascínios e emoções. 

De solidões, encontros 

e reencontros; ressonâncias 

de expectativas, inquietudes, 

ansiedades e interrogações. 

 

 

 

SFundacao D16111515490 2 357x500
 
PICT0377 358x500

Apetece-me tocar as tuas paredes

antigas modeladas pela luz

radiosa e as sombras húmidas,

em suaves harmonias

e ordens ocultas; As sensoriais

texturas já dilaceradas e as

passagens de fronteira para

misteriosas intimidades. 

 

 

 

 

Desejo-te festivo e transcendente, 

de cores vibrantes, dos luminosos 

laranjas e rosas, dos térreos 

castanhos e dos místicos violetas, 

do vermelho sanguíneo pulsando 

vida até à infinitude do horizonte; 

e com as tuas formas puras 

recortadas no límpido azul, as

janelas a respirarem o verde do

esplendoroso Tejo e o tórrido,

amarelo a beijar o teu chão pétreo. 

 

   

 

 

 

 

 


José Manuel MAN nasceu em Lisboa, a 1 de Março de 1941. Frequentou cursos de pintura, design e gravura, na SNBA, ESBAL, IADE e GRAVURA (1958/81). Foi professor de artes visuais no ensino secundário (1976/06). Dirigiu cursilhos de serigrafia no IADE (1973) e no Centro de Formação de Professores de Cascais (1999/04); e de artes plásticas na VIRAGEM (1988/91). Realizou o arranjo plástico do Ginásio Clube Português (1973), um conjunto de 22 quadros sobre os atletas portugueses nos Jogos Olímpicos (1988) e um mural cerâmico de 160m2 na Escola Secundária de S. João do Estoril (1998). Organizou, entre outras, as exposições Desporto Direito do Povo (1976) e 56 Artistas da António Arroio (1986). Fundou o grupo de poesia Palavras Vivas, que dirigiu e no qual actuou (1998/06). Foi dirigente da VIRAGEM – Associação de Artes Plásticas de Cascais, desde a sua fundação (1983) e Presidente da Direcção (1986/92). É membro da Mesa da Assembleia Geral da SNBA desde 2002. Foi bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian (1968), na GRAVURA, pela qual foi diversas vezes editado. Foram-lhe atribuídos menção honrosa da Academia Luisa Todi (1965), medalha de prata da Junta de Turismo Costa do Sol (1967), prémio Manuel Filipe da VIRAGEM (1989) e prémio Salão Convívio da SNBA (1997). Vem referenciado em diversos livros de arte e no Grande Livro dos Portugueses (Círculo de Leitores, 1991). Está representado no Museu de Södertälje – Suécia, Fundação Calouste Gulbenkian, Museu Nacional do Desporto, Museu Malhoa, Museu de Luanda, Museu da Caixa Geral de Depósitos, Museu Armindo Teixeira Lopes – Mirandela, Museu de Setúbal, Museu Amadeo de Souza-Cardoso, Centro de Arte Contemporânea – Amadora, Museu da Cidade - Lisboa e Fundação D. Luis – Cascais, além de outros organismos, museus municipais e colecções particulares. Iniciou actividade jornalística (1972) colaborando em diversos jornais e revistas, sempre na área desportiva, tendo-a exercido profissionalmente no República(1975). Editou e dirigiu as revistas Halter e Gente Miúda (1980/84). É autor do livro Companheiros da Minha Estrada (2001), A Vi(r)agem de Um Sonho Interrompido (2012) e A Corrida no Concelho de Cascais (2013). Realizou vários trabalhos gráficos. Colaborou em atelieres de desenho técnico e de arquitectura (1961/69). Praticou, entre outros desportos, halterofilia de competição (1967/74), modalidade em que foi treinador, árbitro internacional e dirigente, tendo exercido o cargo de Presidente da Direcção da respectiva Federação (1974/77). Desde 1979 que pratica corrida, desporto no qual participou em cinco centenas de provas, incluindo nove maratonas.

 

Desde 1959 realizou 45 exposições individuais, sendo as de maior significado as retrospectivas no Centro Cultural de Cascais (2004) e Sociedade Nacional de Belas-Artes (2011) e esteve representado em mais de duas centenas de exposições colectivas, das quais se destacam: 1959 IV Salão da Primavera da Junta de Turismo Costa do Sol – Estoril. 1965 Exposição Comemorativa de Bocage – Setúbal. 1967 III Exposição dos Universitários na SNBA, II Salão Nacional de Arte,  V Salão de Arte Moderna da J. T. Costa do Sol – Estoril. 1968 III Salão Nacional de Arte. 1969 II Bienal Internacional del Desporte en Las Belas-Artes – Madrid. 1970 41st Seatle Print Internacional – Washington. IX Prémio Internacional Dibujo Joan Miró – Barcelona. IV Salão de Arte Moderna – Luanda. Salão Mobil de Arte na SNBA. 1971 III Bienal Internacional del Desporte en Las Belas-Artes - Barcelona. V Salão de Arte Moderna – Luanda. Gravura Portuguesa Contemporânea – S. Salvador da Baía. Três Gravadores na Galeria S. Francisco.  V Exposição de Verão da SNBA. 1972 Concurso Nicholas Copernicus – Cracóvia.  XX Salão de Grabado – Madrid. III Internacional Print Bienal – Bradford. XI Prémio Internacional Dibujo Joan Miró - Barcelona e Madrid. 2nd Internacional Bienal of Print – Seoul. Bienal Ibizagrafic 72 – Ibiza. II Exposição Internacional de Gravura – S. Paulo. VI Salão de Arte Moderna – Luanda. I Bienal dos Artistas Novos – V. N. Famalicão. 1973 II Prémio Internacional de Gravura Dibujo Joan Miró – Barcelona e Munique • VII Salão de Arte Moderna – Luanda. Exposição 73 da SNBA. 13 +1 Gravadores na Galeria Grafil. 1974 II Prémio Internacional Di Gráfica – Pomero. Bienal Ibizagrafic 74 – Ibiza. XIII Prémio Internacional Dibujo Joan Miró – Barcelona. Gravura Portuguesa de Hoje na Galeria Gordillo. Salão de Março da SNBA. II Exposição AICA na SNBA. Perspectiva 74 da SNBA. 1975 Gravura Moderna Portuguesa – Bucareste • I Bienal de Arte Gráfica – Segóvia. Abstracção, Hoje da SNBA. Colectiva Abril da Galeria Grafil. Exposição I da Sociedade Nacional de Belas-Artes. 1976 Arte Moderna Portuguesa na Galeria NIKA – Tóquio. Pintura Contemporânea Portuguesa no Museu Lund – Södertälje e Caracas. Gravura Contemporânea Portuguesa – Poitiers. Jovem Pintura Portuguesa – Paris. Exposição Pena de Morte, Tortura e Prisão Política – SNBA, Évora, Setúbal e Porto • 20 Anos de Gravura na Fundação Gulbenkian. Arte Moderna Portuguesa da SNBA. Gravura Contemporânea Portuguesa I e II na SEC • Exposição Nacional de Gravura na Galeria Gulbenkian. 1977 Gravura Moderna Portuguesa – Belgrado, Atenas e Madrid. Exposição As Mitologias Locais na SNBA e CAC – Porto. 1978 Gravura Moderna Portuguesa – Rio de Janeiro, S. Paulo e Florença. 1980 Exposição de Homenagem a Alves Redol na SNBA • Desenho e Gravura da SNBA • Gravura Portuguesa no Casino Estoril. 1981 Aspectos de Arte Abstracta Portuguesa da SNBA • III Bienal de Artes Plásticas do "Avante" • Da Cultura e da Paz na SNBA. 1983 Retrospectiva da DIFERENÇA – Coimbra e Évora. 1984 I Exposição Ibérica de Arte Moderna – Campo Maior e Cáceres. Exposição Nacional de Pequeno Formato da ÁRVORE - Porto. I Exposição Portugal em Abril da VIRAGEM – Cascais. Largos Horizontes da Sociedade Nacional de Belas-Artes. 1985 Colagem, Tapeçaria e Desenho da SNBA • I Exposição Pequeno Formato da VIRAGEM – Estoril • Concurso Arte e Desporto do COP. 1986 I Bienal Internacional Esportistes en el Arte – Barcelona e Zaragoza. Exposição Operação Ensino ÁRVORE – Porto e Bordéus • III Bienal de Lagos • 56 Artistas da António Arroio na SNBA. 1987 II Bienal dos Açores e Atlântico. 1988 Prémio Intern. Di Gráfica – Pomero. II Bienal Esportistes en el Arte – Barcelona • Arte Portuguesa – Vilnius • I Bienal de Gravura – Amadora. 1989 IX Bienal de Artes Plásticas – Valparaíso • VI Bienal de Artes Plásticas "Avante" • Exposição de Grande Formato da VIRAGEM. 1990 30 Artistas de Cascais no Museu Condes de Castro Guimarães. 1991 Exposição de Apoio à VIRAGEM no Casino Estoril. 1993 VIII Bienal de Artes Plásticas "Avante" • Exposição O Papel nas Artes Plásticas da SNBA • Prémio Vespeira – Montijo. 1997 IX Bienal de Vila Nova de Cerveira • Prémio Nacional de Pintura Júlio Resende • I Prémio Amadeo de Souza-Cardoso – Amarante. 1998 II Exposição de Artes Plásticas – Amadora • Arte Contemporânea nos Museus Municipais – Setúbal. 1999 Pintura Moderna Portuguesa – Bruxelas • II Prémio Amadeo de Souza-Cardoso • Exposição II Congresso da ANAP – Porto. 2001 III Prémio Amadeo de Souza-Cardoso – Amarante 2002 100 Anos, 100 Artistas, da Sociedade Nacional de Belas-Artes. 2003 IV Prémio Amadeo de Souza-Cardoso – Amarante. 2005 VIII Bienal de Artes Plásticas – Montijo • V Prémio Amadeo de Souza-Cardoso – Amarante. 2006 50 Anos de Gravura Portuguesa – Lisboa, Tavira e Coimbra. 2009 VII Prémio Amadeo de Souza-Cardoso – Amarante.