Frontpage Slideshow (version 2.0.0) - Copyright © 2006-2008 by JoomlaWorks
VALTER VINAGRE

Exposição Húmus
9 de Maio a 25 de Junho de 2009
 

valter_xxl

 

A Fundação D. Luís I apresentou a exposição no Centro Cultural de Cascais, Húmus, de Valter Vinagre é um olhar retrospectivo sobre o conjunto da sua obra que abarca o período compreendido entre 1988 e 2009. A viagem pelos seus diferentes livros e séries fotográficas contempla aproximadamente 70 obras, impressas em diferentes formatos. 

 

O fio condutor da mostra explora de forma fragmentada alguns dos estratos mais íntimos do imaginário do ser humano. A selecção de imagens não está estruturada cronologicamente, antes sublinha as conexões simbólicas e a dualidade de significados existentes em muitos dos trabalhos de Valter Vinagre. São fotografias aparentemente documentais, que exibem todas as suas potencialidades polissémicas ao dialogarem entre si e ao serem submetidas à descontextualização do objectivo que em muitos casos esteve na sua origem. A partir dos conteúdos que de forma ambígua emergem nas diferentes secções da exposição, o espectador pode aceder às reflexões do autor sobre as nossas fantasias, a proximidade da morte, o sexo, a memória ou as relações humanas, um espectro temático aqui representado com um carácter sombrio e inquietante que reforça as suas capacidades evocativas e a sua deriva metafísica.

 

Produzida pela Fundação D. Luís I, a exposição "Húmus" foi comissariada por Alejandro Castellote.

 

valter vinagre 749x1285

 

Valter Vinagre. 1954. Nascido em Avelãs de Caminho, no concelho de Anadia, Valter Vinagre estudou fotografia no AR.CO – Centro de Arte e Comunicação Visual, (1986 – 1989) em Lisboa. Iniciou o seu percurso em finais dos anos 1980, realizando exposições individuais e participando em mostras e iniciativas de cariz colectivo. De início conotado com uma fotografia próxima do registo documental, o seu trabalho passou a interiorizar um exercício mais reflexivo sobre a imagem, criando discursos sobre os significados associados à paisagem, à viagem e ao lugar da cidade. Do seu percurso salientam-se exposições como CÁ NA TERRA, Arquivo Fotográfico Municipal, Lisboa BORED IN THE USA apresentada no Centro Cultural Emmerico Nunes em Sines, CARTA DO SENTIR exibida no Museu da Imagem em Braga, ou SOB A PELE, 1996|2007 Voyeur Project View em Lisboa, ESPIRITO NAS ILHAS, Museu Histórico Nacional, Rio de Janeiro, VARIAÇÕES PARA UM FRUTO, Museu Francisco Tavares Proença Júnior, Castelo Branco, HUMÚS , Centro Cultural de Cascais e participações em mostras colectivas como TOPOGRAFIAS DA VINHA E DO VINHO, na CordoariaNacional, em Lisboa, UMA EXTENÇÂO DO OLHAR, CAV- Centro de Artes Visuais, Coimbra , MY PRIVAT PICTURES na Plataforma Revólver, Lisboa. PEDRAS E ROCHAS, Fundação Eugénio de Almeida, Évora, FRAGMENTOS DO PRAZER, Centro Cultural Raiano, Idanha-a-Nova, MADALENA, Kgaleria, Lisboa, STIGMATA, Sala do Veado, Lisboa, CRITÉRIO VISIVEL – 150 Anos de Fotografia Portuguesa, Edifício da Cadeia da Relação, CPF, Porto, PARA, Cineteatro de Vila Real, O presente: Uma dimensão infinita. BESart Colecção Banco Espírito Santo – Museu Colecção Berardo, Lisboa. Um Diário da República. PhotoEspaña2011. Fundación António Saura/Casa Zavala. Cuenca. É membro fundador do Colectivo Kameraphoto. Lisboa



 

 

 

Em Destaque

Man Ray Noire et Blanche Paris 1926 185

EM ABRIL, NA CASA SOMMER

...

CONVERSAS 185

RAÚL LINO E A CASA DE SANTA MARIA, OU UM POSSÍVEL ARQUITETAR DE CASAS SIMPLES... ...

Agenda

<<  Abril 2017  >>
 Se  Te  Qu  Qu  Se  Sá  Do 
       1  2
  3  4  5  6  7  8  9
10111213141516
17181920212223
24252627282930