Frontpage Slideshow (version 2.0.0) - Copyright © 2006-2008 by JoomlaWorks
CARMEN MIRANDA

Exposição A Nossa Carmen

19 de Junho a 26 de Setembro de 2010

carmen_miranda_xxl

 

Um século depois do seu nascimento e com um oceano de entremeio, é difícil ter uma real noção da importância cultural de Carmen Miranda (1909-1955) no contexto brasileiro, a qual, nos anos 40 e 50, viria mesmo a atingir uma dimensão mundial. Nascida em Portugal, no Marco de Canaveses, em Novembro de 1909, Carmen viajou com a família para o Rio de Janeiro ainda bebé. Embora seja questionável a verdadeira influência que as raízes lusitanas possam ter tido no seu percurso artístico, é inegável que Carmen cresceu num ambiente tipicamente português, numa cidade que, nas primeiras décadas do século XX, registava mais habitantes portugueses do que, por exemplo, o Porto (eram quase 200 mil).

 

Imagens da Exposição no Centro Cultural de Cascais

 

Poucos saberão também que, apesar de se sentir brasileira de corpo e alma, Carmen Miranda nunca abdicou da nacionalidade portuguesa e jamais esqueceu os seus familiares em Portugal, a quem enviava regularmente notícias e presentes.

 

carmen INtro

 

Quando em 1939 embarcou rumo à aventura americana, Carmen era já um caso de unanimidade nacional no Brasil, presença constante nos tops de vendas discográficas, estrela da rádio e do cinema, adorada pelo público e admirada pelos seus pares. Nos Estados Unidos, Carmen e o seu grupo Bando da Lua estrearam-se com enorme sucesso na Broadway e rapidamente conquistaram os estúdios de Hollywood. A partir daí, correu mundo a imagem da alegre e roliça baiana, vestida com roupas coloridas, enfeitada de colares e pulseiras e a equilibrar exuberantes chapéus num corpo sempre em movimento. Eternizaram-se também as canções às quais emprestou a voz e enérgicas interpretações até 1946, ano em que faleceu na sequência de um ataque cardíaco.                  

P1090293 370x278 DSC 0152 370x248

A exposição A Nossa Carmen, que o Centro Cultural de Cascais apresentou de 18 de Junho a 26 de Setembro de 2010, numa parceria entre a Espírito Santo Cultura, a Fundação D. Luís I e a Câmara Municipal de Cascais, com o apoio da Secretaria de Cultura do Estado do Rio de Janeiro, do Turismo de Portugal e da Casa da América Latina, e o patrocínio do Banco Espírito Santo, EDP, Tranquilidade e Casa Trading, conta a história da Pequena Notável recorrendo a dezenas de peças originais do Museu Carmen Miranda (Rio de Janeiro) como roupas, jóias, sapatos, partituras e cartazes, para além de imagens, projecções de filmes e um ambiente cenográfico que ajuda a recriar a época.

DSC 0169 370x248 DSC 0155 370x248P1090254 370x278 P1080430 370x278

Como afirma o jornalista e biógrafo Ruy Castro, comissário da mostra, “não é apenas uma exposição sobre uma grande artista. Ao se passar no Rio dos anos 20 e 30, em Nova York e Hollywood dos anos 40 e 50, ela é também uma história da música popular brasileira, da praia, do Carnaval, da juventude do passado, das estações de rádio e dos casinos cariocas, da Broadway, dos bastidores de Hollywood, dos gangsters que dominavam os nightclubs e da química diabólica dos comprimidos.

 

P1090270 370x278 P1090285 370x278P1090277 370x278 DSC 0161 370x248

 

 

 

 

      Clipping

 

 

          Conheça o Museu Carmen Miranda, no Rio de Janeiro

           

          Sobre Carmen Miranda                                                                                                                               

carmen 06

 

Veja o excerto do filme: “O que é que a Baina tem?” (1939)

 

Tags: 2010 Junho Julho Agosto Setembro Exposições
 

Agenda

<<  Novembro 2017  >>
 Se  Te  Qu  Qu  Se  Sá  Do 
    1  2  3  4  5
  6  7  8  9101112
13141516171819
20212223242526
27282930